Gilberto Stone

Textos

MEU QUERIDO MAMOEIRO
Meu querido mamoeiro
Quantas vezes  à flechadas
Eu te assassinava
Indiferente eu via
Que o teu sangue leitoso escorria.
Era um choro silencioso
Com ele não me importava
Menino eu nem pensava
Que tanta dor te causava.
Hoje em dia se eu pudesse
Beijaria o teu tronco
Pra secar as tuas chagas
Agradecido aos frutos
Que docemente me davas
Gilberto Stone
Enviado por Gilberto Stone em 14/09/2015
Alterado em 17/09/2015


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras